Conteúdo principal

alimentos

Compartilhe

Alimentos que ajudam a aliviar a dor muscular de exercícios

Confira alguns alimentos que ajudam na recuperação e combatem a dor muscular pós-exercícios

Você costuma aproveitar o tempo livre para praticar exercícios no dia a dia, mas não quer ter problemas com dores musculares após qualquer atividade?

Pois temos dicas de alimentos que ajudam a prevenir o desconforto muscular e até aliviar a dor com nutrientes e proteínas que ajudam na recomposição das fibras. Quer saber quais são eles? Acompanhe a seguir!

ALIMENTOS QUE AJUDAM NA REGENERAÇÃO MUSCULAR

 

GENGIBRE

Além de ter propriedades anti-inflamatórias, o gengibre possui um componente chamado gingerol, que ajuda a relaxar os músculos e a oxigenar melhor o sangue. Também é ótimo para a circulação.

Você pode fazer um suco e colocar pequenos pedaços de gengibre ou usá-lo em pó ou ralado para temperar carnes e legumes. Assim, fica mais fácil inseri-lo na sua alimentação diária.

 

TOMATE

Os tomates possuem muita vitamina C, que ajuda o sistema imunológico, e também carotenoides, que ajudam a prevenir as dores musculares. Um excelente alimento para evitar desconfortos no corpo por conta dos treinos – e também é muito saboroso!

 

CARNES E PEIXES

As carnes e os peixes são alimentos ricos em proteínas, que ajudam na reconstrução das fibras musculares e no desenvolvimento dos músculos. Além disso, a proteína do peixe possui ácidos graxos e ômega-3, que também são bons para a atividade cardiovascular e para prevenir doenças cerebrais.

 

CHÁ VERDE

O chá verde é um ótimo termogênico e dá energia e estímulo para começar a atividade física e queimar mais calorias. Ainda, possui polifenóis, que estimulam a circulação sanguínea e oxigenam as células, distribuindo melhor o sangue pelo corpo, o que contribui para a saúde dos músculos.

 

BETERRABA

A beterraba é um ótimo alimento pós-treino para o organismo. Rica em antioxidantes e fitonutrientes, ela ajuda a reduzir o esforço sobre os músculos e também melhora a recuperação do tecido, proporcionando mais vitalidade e regeneração. A indicação é que ela seja consumida crua, batida em suco de laranja, por exemplo, ou na salada. Que tal?

 

FOLHAS VERDES

As folhas verde-escuras são excelente fontes de fósforo, magnésio, potássio e outros nutrientes, que ajudam a prevenir doenças como anemia e osteoporose, além de cãibras, e também fazem com que os músculos trabalhem de forma mais eficiente, sem sobrecarregá-los.

 

PRÓPOLIS

O própolis é uma grande fonte de propriedades antioxidantes, que reduzem o efeito dos radicais livres e ajudam no controle da imunidade, além de reconstruir as capacidades de defesa e auxiliar no desempenho do organismo, funcionando como um ótimo biorregulador.

 

É também fundamental aliar a sua prática de exercícios a uma alimentação saudável, alongar o corpo antes e depois dos treinos e, em casos extremos de dor, procurar um médico especialista, combinado?

No mais, continue sua rotina de atividades físicas e não se esqueça de passar correndo no Assaí Atacadista mais perto de você para aproveitar as ofertas e ficar por dentro das novidades. Esperamos você! Economizar faz bem.

 

Você também pode
gostar de:

Compartilhe

Os melhores alimentos para a saúde da pele

Conheça os benefícios de alguns alimentos que ajudam na saúde da pele e do corpo

Como anda a saúde da sua pele? Saiba que é importante cuidar dela não somente por fora, com protetor solar, cremes hidratantes e cosméticos, mas, também, por dentro, com uma boa alimentação!

Existem alguns alimentos que favorecem muito a qualidade da pele, com nutrientes e antioxidantes que ajudam a combater o envelhecimento precoce e a melhorar tanto a aparência quanto a sua estrutura, dando mais resistência, brilho e vitalidade.

Conheça os principais deles e já coloque-os na sua lista de compras para garantir a saúde da sua pele por meio de ingredientes e sabores deliciosos!

 

Batata-doce

Rica em vitamina C e betacaroteno, a batata-doce age como antioxidante e combate radicais livres, minimizando o risco de inflamações e flacidez na pele. Ela também funciona como estimulante da pigmentação ao tomar sol, assim como a cenoura, e ajuda a manter a pele hidratada, firme e mais saudável.

 

Nozes e castanhas

As castanhas dos mais variados tipos e as nozes possuem zinco e podem contribuir para a produção de colágeno, que deixa a pele mais firme. Além disso, são fonte de fibras e ajudam a regular a flora intestinal, o que evita inchaço no corpo e melhora o funcionamento do organismo como um todo. 

Porém, tratam-se de alimentos da categoria das oleaginosas e não devem ser consumidos em excesso – caso contrário, podem deixar a pele muito oleosa e facilitar o surgimento de acne.

 

Soja

A soja e seus derivados são ótimas fontes de ômega-3, vitaminas do complexo B, C, A e E e minerais como o magnésio e o potássio. Esse tipo de alimento ajuda a manter a pele menos ressecada, mais macia e forte e é ótimo para reduzir rugas finas e dar mais elasticidade à pele – superindicado para mulheres na menopausa ou mais maduras.

 

Chá verde

O chá verde é um excelente agente antienvelhecimento da pele, rico em antioxidantes e flavonoides, que combatem radicais livres e previnem o surgimento de rugas. Os orientais têm muito costume de ingerir chá verde no dia a dia e são conhecidos por manter a saúde da pele por muitas gerações.

 

Frutas cítricas

Ricas em vitamina C, as frutas cítricas agem no combate ao envelhecimento da pele e estimulam a produção de colágeno, que a deixa mais saudável e firme. Além disso, são antioxidantes, atuam contra inflamações e ajudam a “afinar” o sangue.

Entre as principais variedades de frutas cítricas, estão a laranja, o abacaxi, o limão, a acerola, a tangerina, o kiwi, o maracujá, a nectarina, entre outras.

 

Beterraba

É importante que a beterraba seja consumida crua, pois, nesse estado, costuma ser rica em ácido carboxipirrolidônico, que ajuda a manter as células da pele bem hidratadas. Além disso, possui vitaminas A e C, betalaínas, carotenoides e compostos fenólicos e flavonoides – tudo o que ajuda a manter a pele mais forte e rejuvenescida.

 

Melancia

Sabemos que hidratação é tudo e, para a pele, é essencial. Por isso, a melancia é uma ótima opção para essa função, além de possuir diversas vitaminas e licopeno, que protege o tecido da ação foto-oxidativa e previne o desgaste ou o envelhecimento por exposição à luz.

 

Peixes

Os peixes de água fria são ricos em ômega-3, uma gordura capaz de proteger a pele dos danos solares e prevenir não só o envelhecimento precoce como, também, o câncer de pele e manchas.

Entre as principais opções de peixes com ômega-3 para a pele, estão: anchova, sardinha, corvina e cavala, além do salmão com pele, que também é rico em antioxidantes, proteínas, vitamina B, potássio e selênio.

 

Existem outros alimentos que não citamos, mas que também contribuem para a boa saúde da pele no dia a dia, como o mamão, o cacau, as sementes de abóbora, a couve, o abacate, a couve-flor, a aveia, o gengibre e as frutas vermelhas, que, em geral, também deixam a pele mais renovada e previnem problemas comuns de flacidez, ressecamento e envelhecimento precoce.

São várias as opções as quais você pode aderir e incorporar no cardápio para variar tanto em sabor como também em receitas, mas sempre com o intuito de deixar a sua pele saudável e protegida, de dentro para fora.

Gostou das dicas? Esperamos que esta matéria tenha o(a) ajudado a tirar dúvidas e conhecer um pouco mais sobre as propriedades dos alimentos que ajudam a deixar a cútis melhor.

Siga o Assaí Atacadista nas redes sociais para mais dicas e fique de olho em nosso Blog para mais novidades!

 

Você também pode
gostar de:

Compartilhe

Conheça os alimentos que ajudam a queimar gordura

Existem alguns alimentos que ajudam a acelerar o metabolismo e, junto com as atividades físicas, contribuem para a queima de gordura visceral

É normal ter gordura no nosso corpo! Em um organismo comum – sem considerar fatores como obesidade e sobrepeso –, a média do percentual de gordura varia entre 16 e 20%, podendo ir até 24%, dependendo da estrutura.

No entanto, existe um tipo de gordura que pode prejudicar o funcionamento de órgãos internos, desencadeando uma crise metabólica que dificulta a perda de peso e algumas funções, por exemplo, no intestino, no estômago e no fígado. Estamos falando da gordura visceral!

Ela é conhecida por ficar acima dos órgãos e debaixo do músculo, ou seja, não é visivelmente aparente. E a principal região em que a gordura visceral fica localizada é no abdômen. Por isso, às vezes, é tão difícil perder medidas nessa parte do corpo.

Além disso, essa gordura em excesso pode aumentar o risco de doenças cardíacas, pressão alta, diabetes e a capacidade inflamatória do organismo. Nesse caso, é muito importante combater a gordura visceral priorizando a sua saúde!

 

COMO QUEIMAR GORDURA VISCERAL?

Para ajudar a diminuir a camada de gordura no abdômen, é preciso conciliar exercícios aeróbicos com uma alimentação equilibrada, mantendo a rotina de atividades físicas e consumindo menos açúcar, gordura e alimentos com alto índice glicêmico (carboidratos que viram açúcar no corpo).

 

Evite alimentos como:

  • Embutidos

  • Pães de farinha branca e com glúten

  • Fast-food

  • Carnes muito gordurosas

  • Oleaginosas em excesso

  • Frituras

  • Refrigerantes

Além do mais, existe uma classe de alimentos que ajuda a acelerar o metabolismo e fazê-lo trabalhar mais na hora da digestão. São os termogênicos!

 

ALIMENTOS TERMOGÊNICOS

 

Como o próprio nome já diz, os termogênicos fazem com que a temperatura corpórea aumente. Isso faz com que o metabolismo se acelere inevitavelmente para queimar energia e gordura o mais rápido possível.

 

PRINCIPAIS ALIMENTOS TERMOGÊNICOS

  • Pimenta vermelha e pimentão

  • Brócolis

  • Laranja

  • Mostarda

  • Linhaça

  • Guaraná natural

  • Kiwi

  • Sardinha, salmão e bacalhau

  • Couve

  • Chá verde

  • Gengibre

  • Café

Porém, não é só ingerir esses ingredientes e deixar o resto de lado. Os termogênicos funcionam como complemento da dieta e do esforço físico para quem quer perder gordura.

A dica é consumi-los antes do treino ou na parte da manhã, quando o seu corpo está mais “preguiçoso”, para que o gasto calórico seja maior ao longo do dia.

No mais, mantenha uma rotina saudável e se alimente de forma adequada para combater a gordura visceral e evitar problemas mais sérios, já que o bem-estar vem sempre em primeiro lugar!

 

Esperamos ter ajudado a tirar suas dúvidas com dicas valiosas para o seu dia a dia! Acompanhe sempre as novidades no Blog Assaí e fique de olho nas tendências.

Você também pode
gostar de:

Compartilhe

Dicas para guardar alimentos na geladeira

Algumas frutas, por exemplo, ficam mais sensíveis em baixa temperatura e não precisam de refrigeração. Outros alimentos, no entanto, precisam estar na geladeira!

Você guarda a maioria dos alimentos na geladeira? Para cada embalagem, geralmente existem recomendações do fabricante sobre como guardar cada mercadoria, o tempo de armazenamento e a forma correta de uso.

No entanto, frutas e verduras vendidas a granel não vêm em embalagens fechadas e podem variar no jeito de serem conservadas, seja em refrigeração ou na temperatura ambiente, sobre a bancada da cozinha ou em armários.

Vamos dar dicas para você que costuma guardar alguns alimentos na geladeira ou fora dela para melhorar a qualidade desses produtos e conservá-los por mais tempo. Acompanhe conosco e descubra o melhor jeito de armazená-los em casa!

 

DENTRO DA GELADEIRA

OVOS

Muita gente gosta de guardar os ovos na geladeira e isso está correto! No entanto, eles também podem ficar fora de refrigeração, porém, o risco de estragar é bem maior e eles devem ficar em local com sombra e temperatura bem amena. Nada de calor!

Ao guardá-los na geladeira, muitos equipamentos já vêm de fábrica com o acessório na porta do refrigerador, porém, esse não é o melhor lugar para os ovos. Ao abrir e fechar a geladeira, existe uma troca e uma variação constante de temperatura e esse choque térmico pode estragar os ovos facilmente. Coloque-os nas primeiras prateleiras do seu refrigerador e mantenha-os com qualidade por mais tempo.

 

MANTEIGA

O prazer de deslizar a manteiga (à base de leite animal) no pão é sem igual. Porém, por ser feita de creme de leite, as altas temperaturas ou a temperatura ambiente podem estragá-la com facilidade e favorecer a proliferação de bactérias.

Uma boa dica é deixar a manteiga na porta da geladeira para que não endureça tanto ou retirá-la horas antes, quando for consumi-la. Esse é o melhor jeito de evitar riscos à sua saúde.

 

CARNES

As carnes e as proteínas em geral (leite e derivados) devem ser mantidas no refrigerador e, mesmo assim, o prazo de validade desses alimentos na geladeira é baixo!

Devido ao sangue e ao alto risco de proliferação de bactérias, as carnes podem estragar facilmente. Por isso, é recomendado consumir entre 3 e 5 dias se estiverem na geladeira ou logo depois de descongeladas, caso você retire-as do congelador para o preparo no dia a dia.

 

VERDURAS E SALADAS

Sabe a gaveta de alimentos lá embaixo da geladeira? Esse é o local ideal para as suas folhas e verduras!

Como são alimentos mais delicados, é preciso mantê-los em local refrigerado menos intenso e ficar de olho neles, pois sabemos que podem estragar rapidamente, mesmo no ambiente refrigerado.

 

FORA DA GELADEIRA

 

TOMATE

O melhor jeito de guardar os tomates é fora de refrigeração. O ar frio pode fragilizar a pele do tomate e enrugá-la, além de alterar o sabor, deixando-o menos intenso. Guarde os tomates na fruteira da sua casa com a parte do cabo virado para baixo.

 

BANANA

A banana também deve ficar fora da geladeira para não correr o risco de ficar preta ou pastosa, já que a baixa temperatura quebra algumas enzimas da fruta, de forma que ela pode oxidar mais rapidamente. Uma dica para conservar bananas melhor fora da geladeira é enrolar o cabo do cacho com papel-alumínio!

 

CEBOLA

As cebolas absorvem umidade muito rápido e o ambiente refrigerado resseca bastante esses alimentos. Guarde-as com casca fora da geladeira e em ambiente claro, pois sombra e umidade demais também acabam sendo ruins.

 

ABACATE

Se o abacate ainda não estiver maduro, deixe-o inteiro fora da geladeira. O frio desacelera esse processo e o seu fruto vai demorar ainda mais para amadurecer.

Ao cortar o abacate, guarde-o na geladeira ainda com o caroço: isso evita que ele fique escuro e estende a qualidade da fruta. Sabia disso?

 

MEL

O mel é um antisséptico natural e pode ser conservado fora da geladeira sem problemas, mas cuidado com formigas e insetos na hora de armazená-lo!

Dentro da geladeira, ele pode endurecer demais e você não vai conseguir uma boa consistência no dia a dia – e ele pode até cristalizar.

 

AÇÚCAR

Tem muita gente que guarda açúcar na geladeira, mas a umidade é uma grande vilã para esse tipo de alimento!

Para conservá-lo melhor, coloque-o em um pote de vidro bem fechado e em local seco para aumentar a validade e ainda espantar possíveis insetos.

 

Mesmo sabendo que algumas pessoas ainda têm maneiras e costumes de guardar alimentos em casa, hábitos que vêm de família ou que aprenderam com os mais velhos, é preciso se atentar a essas dicas e entender qual é a melhor forma de guardar os alimentos na geladeira!

Esperamos tê-lo ajudado a evitar desperdícios no dia a dia para se alimentar com qualidade, sem riscos para a sua saúde e para o seu bolso. Até a próxima!

Você também pode
gostar de:

Compartilhe

Alimentos ricos em ferro: quais são?

Além de prevenir sintomas de anemia, os alimentos ricos em ferro são essenciais para o transporte de oxigênio

O ferro é um mineral essencial para o corpo, já que atua na formação das células sanguíneas e ajuda no transporte e armazenamento de oxigênio nas células, além de estar associado à produção de energia. Ele age na manutenção do sistema imunológico e os alimentos ricos em ferro contribuem para a saúde da pele, pois o nutriente, ainda, produz colágeno e elastina.

Existem dois tipos de ferro. Saiba a diferença entre eles:

Ferro heme: encontrado nos alimentos de origem animal, como carnes e miúdos. Sua absorção e utilização são melhor aproveitadas pelo organismo, (cerca de 23% do ferro que é consumido).

Ferro não-heme: presente nos alimentos de origem vegetal. Por não serem tão bem absorvidos (até 8% do ferro consumido), o ideal é que os alimentos fonte de ferro não-heme sejam consumidos com vitamina C.

Quer saber quais são os alimentos que mais contêm ferro? O Blog Assaí separou 10 alimentos muito ricos em ferro para você conhecer e acrescentá-los ao seu cardápio. Confira:

1. Carnes vermelhas

Comida de maneira equilibrada, a carne vermelha é a principal fornecedora de ferro: em geral, 5 mg para cada 100 g. Especialmente as carnes de fígado, rins ou coração, recomendadas em caso de deficiência de ferro.

2. Peixes

Embora os peixes sejam lembrados pela sua grande quantidade de ômega 3, que também é muito benéfico para o corpo, eles também possuem boas quantidades de ferro. Ao ingerir 100 g de peixe, você consome entre 0,5 a 1 mg do mineral.

3. Beterraba

A cada 100 g de beterraba crua, você ingere 2,5 mg de ferro. A versão cozida contém um menor nível de ferro. Ainda assim, não pense que essa é a única razão para consumir essa raiz, já que ela também é boa para o coração, os ossos e o cérebro, além de ajudar a regular o índice glicêmico, que controla a quantidade de açúcar no sangue.

4. Gema de ovo

Em uma gema de ovo, são encontrados 1 mg de ferro. Lembrando que essa parte do ovo, embora seja mais calórica, é rica em vitaminas A, D e do complexo B, além de possuir boas quantidades de cálcio, ácido fólico e ômega 3. Uma boa sugestão para quem quer incluir a gema no cardápio diário é o ovo cozido, que, além de delicioso, ainda oferece os benefícios da clara, que também é muito nutritiva.

5. Cereais

A cada 100 g de cereais, há cerca de 5 mg de ferro. Massas integrais, quinoa, aveia, cevada e trigo são algumas opções interessantes para quem não sabe por onde começar. Lembrando que cada um desses alimentos possui um benefício distinto e que o ideal é que eles sejam acrescentados de forma variada na sua dieta diária.

6. Leguminosas

Lentilha, feijão preto, feijão carioca e feijão branco são alimentos ricos em fibras alimentares, proteínas e ferro. A ingestão de 100 g fornece uma média de 2 mg de ferro. É bom lembrar que leguminosas, de uma forma geral, são ricas em ferro, por isso, é importante diversificar o consumo delas para poder aproveitar os outros nutrientes desse tipo de alimento.

7. Oleaginosas

Em 100 g de avelã, amêndoas, pistaches e castanhas-do-Pará, estão presentes cerca de 2,5 mg de ferro. Todos esses alimentos fazem parte do grupo das oleaginosas, que costumam ser muito encontradas em barrinhas de cereais. Uma grande vantagem é que elas podem ser achadas em qualquer época do ano e servem como uma boa opção de lanche saudável.

8. Frutas secas

Muito consumidas em dezembro, especialmente no Natal, as frutas secas são ricas em vitaminas e diversos minerais. Em relação ao ferro, 2 mg dele estão presentes a cada 100 g de figos, uvas-passas com sementes, pêssegos e damascos.

9. Ostras

Consumindo cerca de oito unidades (100 g de ostras), você ingere entre 5 a 9 mg de ferro. As ostras também são ricas em cálcio e em vitamina D. Mas é preciso ter atenção, já que grávidas não devem consumir o molusco, devido ao risco de contrair toxoplasmose, que pode ser uma doença muito perigosa para o bebê.

10. Vegetais verdes

Agrião, rúcula, espinafre, couve e brócolis também são ótimas fontes de ferro: 100 g contêm cerca de 3,6 mg de ferro. Folhas verde-escuras são fontes de fibras, vitaminas e minerais, o que ajuda a fortalecer o organismo e, ainda, reduz as chances de ele contrair alguma doença.

 

Lembre que não basta apenas consumir alimentos ricos em ferro. A vitamina C ajuda a aumentar a absorção do ferro não-heme, por isso, inclua na mesma refeição alimentos fontes desse nutriente, como laranja, caju, goiaba, manga, morango, pimentão e tomate.

Aqui, no Blog Assaí, você encontra essas e muitas outras dicas, além de receitas e novidades. Continue nos acompanhando!

Você também pode
gostar de:

Subscrever RSS - alimentos