Compartilhe

Playgrounds: como brincar em segurança

Os pais de crianças pequenas sabem bem o trabalho que dá sair para almoçar ou comer um lanche fora de casa junto com os pimpolhos. Eles parecem ser incapazes de passar mais que cinco minutos sentados à mesa da forma como os pais gostariam. Justamente para ajudar esses pais que querem aproveitar o passeio com um pouco mais de calma, restaurantes e lanchonetes de todo o país têm construído parquinhos para que as crianças possam se distrair.

Esse diferencial já virou até uma categoria e não há um guia de estabelecimentos, site, blog ou lista que não inclua a indicação de “para ir com as crianças”, ou “espaço kids”. Sem dúvidas, para pais e mães, os parquinhos pesam na escolha do estabelecimento. Entretanto, os empresários devem estar atentos a esses espaços, porque oferecer um parquinho infantil sem as condições de segurança é um risco para o negócio.

A construção de um playground deve ser orientada pelas determinações de segurança contidas na NBR 16071, da Associação Brasileira de Normas Técnicas. Em linhas gerais, a norma determina que a escolha dos materiais e o seu uso devem estar de acordo com normas brasileiras apropriadas, devendo haver especial cuidado na escolha dos materiais quando o equipamento for utilizado em condições climáticas ou atmosféricas extremas. Há ainda a determinação de que usuário deve ser advertido dos riscos que cada material apresenta e deve-se prestar atenção aos possíveis riscos de toxicidade no revestimento das superfícies dos brinquedos.

Os empresários precisam saber que as quedas são a principal causa de hospitalização por acidente de crianças de 1 a 14 anos no Brasil, e no parquinho são o maior perigo; acontecem com bastante frequência e podem levar a consequências graves. Em um playground é muito difícil evitar que a criança caia, mas é possível fazer com que o tombo doa menos. Para absorver os impactos, o piso deve ser macio, ou seja, de grama, areia ou emborrachado. A altura também é outro item a ser checado: o risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cair de um brinquedo superior a 1,5 metro, segundo estudos da ONG Criança Segura.

Confira mais algumas regras da ABNT para os playgrounds

  • O playground deve ser separado em áreas conforme a faixa etária das crianças.
  • A área de circulação ao redor do parquinho precisa ter, no mínimo, 1,5 metro.
  • As roscas de parafusos salientes devem ter acabamentos de proteção.
  • Os cantos dos brinquedos têm que ser arredondados.
  • Parquinhos de madeira devem ter acabamento liso, livre de lascas ou farpas.
  • Para desencorajar as crianças a correrem dentro da área do trajeto dos balanços é necessário instalar barreiras de segurança em torno dos brinquedos.

Você também pode
gostar de:

produtos tecnologicos diversos - tecnologia para economizar - Assaí Atacadista

Tecnologia para economizar: 6 aliados da rotina familiar

Saiba como usar a tecnologia para economizar tempo e dinheiro no dia a dia!  

grupo diverso de pessoas empreendedoras - dia do comerciante - networking para comerciantes - Assaí Atacadista

Networking para comerciantes: a amizade que faz o seu negócio crescer

Vamos te contar como fazer conexões com outros empreendedores e fortalecer o networking para comerciantes!  

homem idoso branco e mulher negra empreendedores em um comércio sustentável de rua - Assaí Atacadista

Guia básico para criar um comércio sustentável

Veja o passo a passo essencial para ter um comércio sustentável e contribuir para a preservação do meio ambiente!  

Fornecedores do Assaí

Empresas e indústrias de confiança com produtos de qualidade!