Pizzarias usam criatividade para movimentar o mercado

Para enfrentar a concorrência, pizzarias inovam no cardápio

No Brasil, existem mais de 50 mil pizzarias em funcionamento e mais da metade estão localizadas no estado de São Paulo. O setor é responsável por um faturamento em torno de 22 bilhões de reais por ano e gera mais de 360 mil empregos diretos. Os dados são da Associação Pizzarias Unidas do Estado de São Paulo (APUESP), que aponta um crescimento contínuo no segmento desde 2015.

Com o avanço tecnológico e as mudanças de comportamento dos consumidores, as pizzarias tiveram que se adaptar e buscar alternativas para compreender as novas demandas do mercado. O levantamento da APUESP identificou um nicho forte e extremamente competitivo. Por isso, é necessário jogo de cintura, criatividade e muita atenção para vencer a concorrência.

Ousadia & Pizzarias

Um exemplo dessa preocupação é a marca americana Domino’s, que deu a volta por cima de uma crise interna e se tornou a segunda maior cadeia de pizzarias do mundo. Ela possui, hoje, 12,5 mil lojas em mais de 80 países.

Um case que começou em 2010, quando foi considerada por muitos críticos uma pizza “medíocre”, com “sabor de papelão” e por ter seu molho muito próximo ao gosto de ketchup. Na época, segundo reportagem da BBC Brasil, o CEO da companhia assumiu e até chegou a falar mal do próprio produto.

As duras críticas motivaram a transformação do processo de produção – desde a receita da massa, passando pela escolha dos ingredientes, até chegar ao preparo. A marca se reinventou e alinhou-se à tecnologia, tornando-se referência na fabricação e venda de pizzas no mundo, segundo a revista da Faculdade de Administração da Universidade Harvard.

A publicação até retrata a marca como pioneira no desenvolvimento de mecanismos na entrega. Os pedidos podem ser feitos usando emojis em mensagens de texto ou mesmo via Twitter. As entregas estão sendo feitas por drone, em formato de testes.

Abuse & Use

Não é propaganda de marca de roupa não! O negócio é abusar e usar de muita criatividade para enfrentar a concorrência no mercado de pizzarias no país. Saber se destacar no meio de tanta diversidade e atender as demandas do público-alvo.

Unir paladar e criatividade vem ganhando espaço e tornando-se cada vez mais necessário no segmento. Hoje, por exemplo, o brasileiro tende a escolher opções mais saudáveis, segundo levantamento da consultoria Euromonitor.

Ter no cardápio alternativas fitness, orgânicas, focadas em dietas restritivas ou com um diferencial gastronômico pode se tornar um diferencial. O Brasil é o quinto maior mercado de alimentos saudáveis, movimentando 27,5 bilhões de dólares nos últimos cinco anos.

E não é só mudar o recheio não. A ideia aqui é estimular versões próprias ou até novas ideias para as clássicas. Depois do ovo de Páscoa de coxinha, do fondue de coxinha e do ”coxinhaburger”, o salgado queridinho da internet invade as pizzarias e faz fama.

O pizzaiolo Francisco Edilson Pereira, mais conhecido como Tilon, lá do interior do Ceará, foi responsável pela criação da pizza com borda de coxinha. Isso mesmo: dois lanches de apelo nacional reunidos em um só prato.

O Assaí faz parte da história das pizzarias

Além de criatividade para enfrentar a concorrência, encontrar fornecedores e parceiros é fundamental. Por isso, o Assaí Atacadista sempre busca cada vez mais estar presente no dia a dia dos empreendedores brasileiros. Como é o caso do Paulo Camacho, proprietário da Dom Pepe & Camacho Pizzas.

O empresário faz compras nas lojas Assaí desde 1994, quando assumiu a administração da pizzaria na Vila Nhocuné, bairro da zona leste de São Paulo. Lá, segundo ele, além da comodidade, o preço baixo e a variedade de produtos fazem toda a diferença nessa história, que tem quase 23 anos.

E, em todo esse tempo, ele se orgulha de não ter desistido nas primeiras barreiras. Segundo ele, foco e determinação são as principais fontes para alcançar os objetivos. “O meu principal conselho é não ter medo. É batalhar e, se você não se dedicar, não vai para frente!”, pontua.

Atualmente, o sonho do Paulo é ampliar a estrutura da Dom Pepe. “Hoje eu só atendo delivery e balcão. Meu plano para o futuro é ter uma pizzaria maior, com mesas no estilo americano e poltronas, para englobar as três formas de atendimento”, explica.

Conheça mais a trajetória do Paulo e da Dom Pepe:

 

Tudo acaba em pizza!

E acaba mesmo! Segundo a Associação Pizzarias Unidas (APUESP), o brasileiro é responsável por consumir mais de um milhão de pizzas por dia. Só em São Paulo, são consumidas mais da metade do dado nacional. E esses números dão o título de segunda cidade que mais consome pizza no mundo para a terra da garoa.

 

Fontes: Assessoria de Imprensa Abrasel

Assessoria de Imprensa APUESP

BBC Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.