Rubacão: a cultura nordestina na mesa!

Típico da Paraíba, o rubacão lembra o processo do clássico baião-de-dois

 Assim como o bolo de rolo é famoso em Pernambuco e o acarajé na Bahia, o rubacão tem admiradores por cada canto paraibano. Segundo a história, o prato é uma adaptação de uma receita árabe com o incremento de toda a riqueza dos sabores nordestinos.

O Nordeste é uma região que se destaca pela força gastronômica no Brasil. Rica em sabores, cores e aromas, as tradicionais receitas carregam toda uma fusão de culturas e comunhão de tradições. E com o rubacão, não é diferente.

O rubacão lembra, em alguns momentos, o processo do famoso baião-de-dois. A principal diferença, além de alguns dos ingredientes, está no preparo e na característica mais primitiva da receita.

Algumas histórias contam que a criação veio do mujadarrah ou mijadra – prato árabe que é elaborado com arroz, lentilhas, cebola frita e iogurte. No rubacão, sai a lentilha e entra o feijão macássar ou feijão-verde, típico do sertão paraibano.

Há outras vertentes que contam que o rubacão é uma mistura do resto de arroz, feijão, naco de carne, toucinho e uma quantia de leite. Tal refeição, era típica no final da tarde dos sertanejos, que retornavam do trabalho no campo.

Seja da linha árabe ou sertaneja, com o passar do tempo a receita ganhou alguns outros toques e transformou-se em um prato forte na região. Além do arroz e o feijão, a receita original leva queijo coalho, carne-seca desfiada ou carne de sol, bacon ou toucinho, nata, manteiga de garrafa e leite. Vamos para a cozinha preparar essa iguaria?

Ingredientes

500g de feijão de corda (ou feijão verde)

450g de arroz branco

750g de carne de sol picada em cubos

2 cebolas

1 xícara (chá) de coentro picado

200g de queijo de coalho cortado em cubos

3 colheres (sopa) de manteiga

3 colheres (sopa) de nata fresca

1,5l de leite

4 tomates picados (se forem grandes, você pode usar somente 3)

½ xícara (chá) de óleo

Sal a gosto

Modo de preparo 

  1. A primeira etapa é dessalgar a carne de sol e esse processo deve ser iniciado pelo menos 12 horas antes da receita ser servida. Lave os cubos de carne de sol em água corrente. Coloque-os em uma vasilha com água suficiente para cobri-los e leve para a geladeira. Troque a água a cada três ou quatro horas, ao menos três vezes.
  2. Em uma panela ao fogo, cozinhe o feijão com água suficiente para cobri-lo e sal a gosto por cerca de 25 minutos após levantar fervura, para deixá-lo ‘al dente’.
  3. Escorra o feijão e reserve.
  4. Em outra panela ao fogo, coloque o óleo e o arroz. Refogue bem. Acrescente um pouco de sal e 800ml de água. Cozinhe até a água secar e o arroz ficar ‘al dente’. Reserve.
  5. Em uma frigideira grande, frite a carne de sol com óleo. Em seguida, apague o fogo e adicione o arroz, o feijão, o coentro, a cebola e o tomate. Misture bem devagar.
  6. Acenda o fogo novamente e adicione 1,5l de leite. Mexa com cuidado. Deixe levantar fervura e continue mexendo.
  7. Verifique o sal e adicione o queijo coalho. Quando o queijo derreter, acrescente a nata. Misture bem.
  8. Desligue o fogo. Decore com coentro e sirva.

 

Fonte: Receitas GNT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.