Conserve bem os alimentos e evite desperdícios

Algumas atitudes adotadas no dia a dia podem ajudar a evitar o desperdício de alimentos e a garantir a segurança alimentar dos consumidores. Para isso, existem algumas estratégias simples que podem ser facilmente colocadas em prática. Por exemplo, na hora de comprar uma fruta, o primeiro aspecto a ser considerado é verificar o seu grau de amadurecimento e calcular o intervalo entre a aquisição e o consumo. A opção mais indicada é sempre adquirir menores quantidades, porém, realizar a compra com maior frequência, o que ajuda a manter os alimentos sempre frescos e com maior qualidade.

Algumas variedades, como, por exemplo, morango e amora, exigem um manejo mais cuidadoso por serem frutas mais delicadas e que facilmente estragam. Por isso, a indicação é sempre preservá-las em bandejas e evitar que os frutos fiquem empilhados uns sobre os outros, como geralmente costuma ser visto nos estabelecimentos.

Frios
No caso das carnes que serão comercializadas para consumo imediato, ovos e lacticínios como leite, queijos, requeijão e margarina ou manteiga, todos deverão ser colocados de preferência na parte superior dos refrigeradores, na qual as temperaturas são mais constantes. Além disso, é importante que esse espaço de resfriamento não tenha portas, pois o constante “abre e fecha” pode ser prejudicial para o alimento. A mesma dica deve ser seguida para a geladeira em casa.
Atenção na validade das carnes congeladas como frango, gado e porco, que varia entre seis e oito meses. No caso de peixes e frutos do mar, o tempo se reduz para três e quatro meses.

Sem refrigeração
As verduras, legumes e frutas como o tomate, cebola, abobrinha, batata, melão, abacaxi, pêssego e maçã se adaptam melhor à conservação em temperatura ambiente. Somente se forem cortados, estiverem muito maduros ou não forem de consumo imediato deverão ser refrigerados.

Maior sensibilidade
No caso das folhas de alface, rúcula, espinafre e escarola, a conservação pode ser realizada em embalagens plásticas com a indicação para o consumidor retirar o conteúdo do pacote e higienizar antes do armazenamento.

Dica
Para mais detalhes sobre a conservação dos alimentos, há livros como o “Guia de gerenciamento por categoria: otimizando a relação entre indústria e varejo”, de autoria da Cristina Lopes, e “Alimentos seguros: ferramentas para gestão e controle de produtos e distribuição”, da Luana Assis. Ambos podem auxiliar no manejo adequado dos produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.